DT 180

Ficha Técnica:

Marca, modelo:Yamaha 180, Induction

Características:Monocilindro a 2 tempos

Refrigeração:Ar

Cilindrada:176 cm³

Potência máxima:16,6 cv à 7.000 r.p.m.

Torque máximo:N/A

Taxa de compressão:N/A

Câmbio:6 marchas

Peso:aprox.100kg

Relação de transmissão secundária:Pinhão: 16, Coroa: N/A

 

A DT180 fez a história da trilha no Brasil. Além de popularizar a pratica do esporte, também foi a que mais venceu o enduro da independência. Por ter baixo custo de manutenção, mecânica muito simples, ser leve (102Kg) e baixa é usada até hoje. Desde o seu lançamento algumas melhoras foram feitas na moto, ela ganhou freio a disco dianteiro  e cambio com seis marchas mas, o seu motor continuou o mesmo (180cc, gera 16.6 cavalos de potência máxima).

 

Para preparar a sua moto, comece dando aquela pelada, retire tudo o que não vai ser usado na trilha. Substitua os pneus por outros do tipo cross. A relação também deve ser mexida, de preferência use uma mais reforçada com corrente de XL250, uma boa e a de 13/49. Vede o filtro de ar e passe a entrada para cima, não fure a tampa. Você pode também substituir o original por um feito com canos de PVC Não abuse do motor, por ser refrigerado a ar ele esquenta muito. Passe todos os respiros do carburador e do carter até debaixo do banco e volte para a parte de baixo da moto.

 

Preparação

Todos sabemos que as motos nacionais são muito utilizadas no meio Off-Road, seja p/ uma trilha de final de semana, seja em competições. Sabemos também que, bem preparadas, elas se saem muito bem, afinal, a “peçinha” que vai atrás do guidão faz muita diferença. Exemplo disso é o famoso piloto Sandro Hoffmann, que com uma Tornado foi Pentacampeão Brasileiro de Enduro, competindo contra motos “especiais” famosas do mundo inteiro.

Daremos aqui algumas dicas de preparação partindo de uma moto original de rua.

Obs.: clique nos links para ver os produtos indicados.

 

DT 180 (S/ N/ R/ Z)

 

A mais tradicional trilheira nacional continua firme e não deixa a desejar nas mãos de um bom piloto. Com uma manutenção barata, a “DTzinha” ou “D-TEZÃO” como dizem muitos, tem uma característica interessante para um motor 2 tempos, que é oferecer um bom torque em baixa e média rotação. Bem preparada, vai bem em qualquer lugar. Ainda vejo algumas nos Enduros, que ela sempre encara até o final, graças a sua boa resistência.

 

1) Relação de Transmissão: Substitua a original por uma com Coroa de 48 dentes e um Pinhão de 13 dentes. Com essa relação mais curta, sua moto perde um pouco de velocidade final, mas ganha muito mais força, ficando mais adequada ao uso off road. Além disso, coloque uma corrente com Retentor, pois ela impede que a lama e areia entre nos roletes desgastando-a mais rápido. Prefira também uma corrente bitola 520 (a original da DT é muito fina), isso também aumenta a resistência e a durabilidade. A Tribos e Trilhas possui uma excelente relação, testada nas pistas e provas, com Coroa e Pinhão marca Riffel e Corrente CIC com Retentor.

 

2)CDI: Substitua o CDI original por um apropriado para Competição. Você sentirá uma boa melhora em altas rotações, pois o CDI de competição não diminui o avanço em rotações mais altas como ocorre com o original. Essa é a forma mais barata e fácil de se ganhar alguma potência sem fazer grandes alterações mecânicas no motor.

 

3)Ponteira: A Ponteira Original, além de muito pesada, possui muito material interno para abafar o ruído. Esse excesso de material segura muito a saída dos gases, “amarrando” dessa forma o motor, deixando-o mais “preso”. Instale uma Ponteira do tipo esportiva, que pode ser Cromada (de aço) ou de Alumínio.Tanto uma como a outra, deixam a sua moto mais leve e oferecem algum ganho de potência, além da moto ficar mais “esperta” nas respostas.

 

4) Protetor de Mão: Acessório de proteção muito importante, pois nas trilhas ou competições as mãos ficam muito expostas a impactos contra árvores ou mesmo por objetos lançados por outras motos como pedras. Além disso, ajudam a proteger os manetes em caso de queda. Você pode instalar um Protetor de Mão Aberto, que é mais barato e protege contra objetos lançados por outras motos, mas não protegem de impactos mais fortes. Ou um Protetor de Mão Fechado como o Megaville ou o Cobra.

 

5) Guidão: Retire o original de Aço e instale um de Alumínio. Além de deixar sua moto mais leve, ele também é mais resistente, e muito mais bonito. Você pode instalar um modelo Polido ou Dourado da Three Heads ou ainda um tipo Fat Bar, que é ainda mais resistente, bonito e oferece uma melhor posição de pilotagem.

 

6) Number Plate ou Carenagem: Você pode dar um visual diferente e exclusivo instalando uma carenagem mais moderna, bonita e mais atual ou ainda, se não for utilizar o farol, colocar um Number Plate, que é mais barato e deixa a moto mais leve. Veja dois Modelos diferentes, o da marca Protork e o da marca Cobra

 

7) Trava de Pneu: A finalidade da Trava de Pneu é impedir que o pneu “escorregue” sobre o Aro furando a Câmara de Ar, mesmo quando se anda com menos pressão nos pneus, o que é comum em dias de lama, para se ganhar mais tração.

 

8) Paralamas: Além de dar um visual bem mais moderno e bonito, conserva os plásticos originais de sua moto, permitindo que você monte-os de volta para vendê-la.

Dianteiro: você pode colocar um Modelo MX-2 da Protork ou um Modelo Fire da Cobra

Traseiro: você pode colocar um Modelo Extreme da Cobra, que além de bonito, tem um ótimo preço.

 

9) Você pode colocar Manoplas específicas para Off Road, Pretas ou Coloridas. Além de dar mais pega, facilitando a pilotagem, dá um novo visual a sua moto, principalmente se for da mesma cor do Protetor de Mão. Veja os modelos:

Cobra

Megaville

Orbital.

 

- Retire os retrovisores e as setas. Além de aliviar o peso, eles podem se quebrar com facilidade nas trilhas.

 

- Retire também (se for possível) Bagageiro, Lanterna traseira, Buzina, Painel, Pedaleira do garupa e Capa de corrente.

 

- Suspensão Dianteira: Substitua o Óleo original das Bengalas por Óleo de motor de Carro (tipo 20W40), que é mais viscoso (grosso) que o original, tornando a suspensão mais rígida e assim mais adequada ao off road.

 

- Suspensão Traseira: Se a mesma tiver regulagem, coloque-a no máximo, ou seja, com a mola o mais comprimida possível. Isso a endurece mais, ficando mais adequada. Evite o uso de “Alongadores”, pois eles não aumentam o curso da suspensão (apenas deixam a moto mais alta) e deixa a suspensão mais sujeita a quebras.

 

- Filtro de Ar: Se o mesmo for de Papel, procure substituí-lo por um de Espuma. Além de ser mais adequado, pode ser reutilizado, basta lava-lo com detergente. Após lava-lo, umideça-o com um óleo fino, por exemplo óleo desengripante spray. Isso ajuda a prevenir a entrada de poeira no motor.

 

- Caixa do Filtro de Ar: Se você colocar uma Ponteira esportiva, isso aumentará a vazão de saída dos gases do motor. Para compensar, você precisa aumentar a vazão do ar de entrada. Para isso, faça alguns furos na caixa do Filtro de Ar. Mas atenção: procure fazer os furos na parte superior da Caixa, no mesmo nível ou acima do furo original, para que ao passar pela água a mesma não entre dentro da caixa. Escolha também um lugar “escondido” para dificultar a entrada de muita poeira.

 

- Pneus: Substitua os pneus originais por um Traseiro e um Dianteiro Tipo Biscoito

Essa alteração é fundamental para quem quer se iniciar no esporte, pois a tração em qualquer terreno (principalmente em subidas e lama) fica muito melhor, assim como a aderência em curvas e as frenagens que serão mais seguras.

 

Autor: Carlos Eduardo Alemão

www.tribosetrilhas.com